25 de out de 2011

Reticências Eternas

Normalmente as pessoas se negam a encarar seus lados mais sombrios. Isso é o natural. Mas seria o certo? Pergunto-me isso porque tenho a tendência a observar meu lado obscuro. E não são os defeitos que mais me assustam. São as dúvidas. Antigamente temia que meu lado mais negro fosse não temer a morte. Claro que a vi apenas no semblantes de pessoas que amava ou que apenas conhecia. E sempre afirmo que não temo a morte e sim a decrepitude da vida... Porém, sinto isso aos 30 anos e supostamente saudável. Mudarei de ideia mais adiante? Não sei...
Hoje posso afirmar tranquilamente que me apavora saber que alguém que eu goste esteja numa situação delicada de saúde. Tenho impulsos de enfrentar o mundo e fazer de tudo para ajudar. E convenhamos, por mais que queiramos ajudar alguém numa situação dificil, não somos médicos e tão pouco curandeiros. O máximo que fazemos é estar perto e dizer: Ei, estou aqui e você não está só. Contudo, até que ponto podemos estar juntos? Até que ponto isso é saudável, quando sinto que parte de mim se esvai? Ou até onde essa reflexão tem sentido, quando um alguém novo chega e conquista sua afeição te trazendo algo a mais?
Talvez eu devesse ver mais televisão. Quem sabe assim não ficasse a refletir sobre questões que não me trazem respostas exatas. A existência não é matemática. Não temos controle sobre ela. Podemos tentar somar e ao chegar no resultado vermos que fomos subtraidos. Acabaram por tirar de nós algo precioso e não há meio de recuperar. Ou podemos dividir e descobrir que no fim multiplicaram-se emoções boas...
E ainda tem o outro lado. Há pessoas que amamos, porém devido as circunstâncias da vida não permanecemos ao seu lado. Algumas no máximo mantemos um contato telefônico. Então por que mesmo "distantes" sofremos tanto por tais seres?
E se não bastasse tantas dúvidas, existem ainda outro ponto. Aquele onde alguém te machuca tanto que nos afastamos para poder sobreviver. Todavia não odiamos. Mantemos aquele amor guardado e muitas vezes renegado. Apegados a momentos ilusóriamente maravilhosos...
Pior do que pensar em tantas coisas sem ter resposta é ter a certeza de que nunca deixará de analisar, de questionar e lamentar ser tão pequeno na existência. Vivendo assim uma busca eterna....
Uma agonia eterna.
Reticências eternas...


2 comentários:

  1. adorei o texto. mas podia atualizar mais vezes !
    *-*

    ResponderExcluir
  2. Um dia vou ai te incomodar.

    na praiaaa

    Kaka

    ResponderExcluir