4 de set de 2011

Lembranças...

Ele gritava por ajuda. Embora eu ouvisse não conseguia encontrá-lo. Fechei os olhos e me concentrei apenas nos sons. Havia lido que isso melhorava a audição. Sai dos trilhos e fui calmamente procurando ele naqueles matos e roseiras que na época existia em volta da "linha do trem".
O encontrei. Ele estava tremendo. Tinha o corpo úmido. E os olhos tristes e desesperados. De uma forma que eu não explicaria com palavras me identifiquei com ele. Foi nesse dia, creio eu, que descobri meu amor por felinos.
Levei-o para casa. E agora era assustador ter que falar com minha mãe que eu havia adotado aquele gatinho de pelos amarelos. Minha mãe nunca foi do tipo emotivo ou sentimental. As horas que ela passava lavando roupas naquele tanque velho a deixou tão rígida quanto o outro tanque de pedra.
Todavia eu não podia esconder o gatinho. E nem abandoná-lo. Criei coragem e contei sobre o felino. Após algumas palavras ríspidas e a fúria controlada minha mãe deixou o "Alemão" ficar. Nome escolhido por ela...
Um tempo depois...Talvez um ano após esse fato, cheguei da escola e me deparei com uma cena terrível. Um gato havia sido enforcado. E estava ainda na corda. Não sei quando tempo permaneci olhando. Até que comecei a chorar. Minha mãe surgiu do nada, brigando por causa da choradeira. Apenas consegui perguntar a ela onde estava o "Alemão". A resposta foi um simples "tá por ai". Quis ir procurá-lo. Precisava ter certeza de que estava bem. Entretanto a ordem veio direta: " - Para de chorar e leva esse gato morto e deixa pra lá da caixa de água.
Esse foi dia em que me distanciei da mãe pela primeira vez.

Tentei pegar o pobre bichano. Contudo estava pesado de mais. E eu era só uma criança. Pedi a mãe que o enterrasse. Era o mínimo que ela podia fazer, após ter cometido aquele crime.
A bronca veio e a segunda ordem: - Puxa o gato por essa corda.

A sensação que tive ao levá-lo é indescritível. Doloroso de mais. Sempre amei os animais. Naquele dia passei a detestar qualquer tipo de crueldade contra eles.

Lembrei de tudo isso hoje ao caminhar pelos trilhos que passam no fundo da casa da minha mãe. Lembrei isso porque logo viajo e não deixo a minha gata Bastet para trás por nada. Lembrei disso porque vou me afastar ainda mais da minha mãe..... Se é que um dia fomos próximas.

2 comentários:

  1. Eu garanto q sentirei tua falta pimentinha.
    podia ter ido pra mais perto...:(

    L.

    ResponderExcluir
  2. Ah ve se entra mais no msn ou me da numero de um telefon.

    L

    ResponderExcluir